quinta-feira, 18 de março de 2010


Há quanto tempo não escrevo. Nossa!

O que eu posso dizer é que o Junnyor que todos conheceram morreu. Não sei dizer ao certo quando foi o sepultamento, mas deixe-o descansando em paz!

Neste tempo em que nada foi postado, aconteceram muitas coisas para que tudo se transformasse em minha vida. Hoje sou uma outra pessoa. Alto astral, de bem com a vida e sem a menor necessidade de ter alguém para rotular como “namorado”. Aprendi que tudo tem o seu tempo e que este talvez não seja o meu tempo.

Conheci pessoas maravilhosas, que me ajudaram muito neste crescimento sem nem saberem. Tinha aquela obsessão de que para atingir a felicidade plena era necessário ter alguém para chamar de meu, quando na verdade a única coisa que me pertence é minha felicidade e minha vida que mesmo tendo suas injustiças e percalços é muito boa, vale muita a pena. Vale tanto que para ter alguém nela, tem que se valer muito mais.

Não tentei relacionamento com ninguém e sim, conheci pessoas novas que foram se mostrando bem diferentes daquilo que aparentavam ser, diferentes daquilo que eu espera e mais diferente ainda a minha reação ao término de cada um. Não fiquei frustrado. Nestas andanças pela vida conheci novos amigos que hoje são a razão da minha vida. Foi com eles que passei a enxergar a minha vida de um modo diferente e após isso, tudo passou a fluir bem melhor.

Mente nova e vida nova. Hoje me acho mais interessante, mais sedutor, mais plausível. E acho isso tudo para mim. Sabe aquele velho clichê de que primeiro temos que nos amar? Pois é, é assim que vivo hoje. Depois que passei a me amar, me valorizar, e dar mais importância a mim mesmo, todo o resto ficou muito pequeno. Não serei hipócrita em dizer que não queira ter alguém, mas ao mesmo tempo sinto que um alguém não teria vida na minha vida.

Engraçado que depois que passamos a nos enxergar como pessoas de verdade, tudo a nossa volta muda. Eu vivia numa redoma de depressão, de foça, de querer ter alguém e não aceitar os fatos da vida, que hoje olho para trás e vejo o quão ridículo eu era. Mas não me arrependo. Acredito que temos que ser o que somos e viver tudo ao seu tempo. Fui neurótico e vivi uma fase ruim, hoje isso passou e estou bem.

Dias desses eu estava num museu e um cara ultra tudo de bom passou a me seguir, até que achou um jeitinho de puxar assunto comigo. Eu muito educado dei-lhe toda a atenção do mundo. E durante a conversa eu disse que estava tendo um dia só para mim, ele em contra resposta veio com: “Eu na verdade trocaria tudo para estar abraçadinho com alguém em casa, deitado na cama curtindo um bom filme”. Na mesma hora me veio na mente a seguinte cena: nós dois deitados após uma transa curtindo um DVD. Olhando pela janela do quarto via um dia perfeito com o sol radiante e um mundo todo correndo lá fora.
No mesmo instante eu o dispensei de forma educada e continuei com o meu dia. Fui pegar um cinema no Espaço Unibanco na Augusta, depois desci ao Ibirapuera para dar uma caminhada e terminei o meu dia sentado na calçada da Augusta, no bar Athenas tomando um bom chopp gelado. Sozinho e muito, mas muito feliz.
A vida é isso aí. A vida é linda e está na nossa frente para ser desfrutada.
Amanhã mesmo eu tenho uma festinha entre amigos super bacana e iremos todos direto da empresa. Sabe o bacana disso tudo? Sairei da empresa e não terei que pegar o telefone e perguntar se X quer ir, pedir permissão a X e etc. Eu vou e pronto. Beberei quanto eu quiser, darei quantas risadas forem necessárias e se rolar algo com alguém bacana, mas se não rolar dane-se, estou curtindo ao lado dos meus amigos da mesma maneira. Não serei menos feliz porque voltei para a casa sozinho, pelo contrário.

Claro que isso tudo só aconteceu depois de muita batalha interna e sem dúvidas, depois que decidi que já era hora de fazer NOVOS amigos. Meus amigos? Todos namoram, outros são casados e um casal inclusive estão juntos a 8 anos. UMA SALVA DE PALMAS, rs. É bonito? É legal? Dá vontade? CLARO! Mas quando olho a minha independência não sinto a menor vontade em ter alguém. Eles agora estão com a idéia fixa de quererem me casar. Me apresentaram um cara. Nos conhecemos e foi bacana. Saímos algumas vezes e ele sempre evitando o sexo, até que um dia ele buscou toda a sua inspiração em Janet Clair e confessou a mim que era soro positivo. Eu respondi: Jura? Nossa! Que bacana. – Ele indignado perguntou onde era o bacana nisso e eu respondi que também era. Ele arregalou os olhos, me abraçou e me beijou enlouquecidamente dizendo que seriamos felizes, que se ele já gostava de mim agora iria gostar ainda mais e começou a agradecer a Deus por me ter posto na vida.
Em outros tempos eu me jogaria nos braços dele, mas nos tempos atuais pensei: “Como alguém agradece a Deus e diz sentir isso tudo em apenas 5 encontro, sendo este o 1º em que estamos sozinho?”. Nos falamos até hoje e somos colegas.

Também cansei de Radar e HIV Brasil.
Muito marketing e muita manchete.
Se tiver que aparecer alguém, simplesmente aparecerá.
Tudo ao seu tempo.
Se hoje mesmo eu bater o olho em alguém e rolar uma paixão avassaladora, me entregarei de cabeça, mas é como eu disse: Minha vida está valendo tanto a pena que para fazer parte dela, terá que valer muito mais.

Bjs e até a próxima.

4 comentários:

  1. Que bom que vc está tãO em paz com vc mesmo.
    Espero que um dia eu tbm consiga atingir essa plenitude.
    Continuo aqui apaixonado pelo meu melhor amigo, cheio de ciumes e insegurança. Vivendo a vida dele e deixando a minha de lado, ninguém mais me interessa, só ele. E ele me trata como irmão. Isso doi muito, pois por mais que eu tente, não consigo tira-lo da cabeça.
    Minha terapeuta diz que tenho de sair, conhecer novas pessoas, me expor. Mas nada tem graça se for sem meu Léo.
    Ai Junnyor, me de uma luz, me mostre uma solução pra ver essa pessoa que amo tanto apenas como amigo e não como homem. To com muito medo de nossa amizade acabar.
    Forte abraço.

    Marquinhos.

    ResponderExcluir
  2. Poxa Marquinhos que barra!
    Eu nunca passei por isso, mas creio que a verdade seja a melhor coisa. Já se abriu pra ele? Expôs seus reais sentimentos? Tente cara! Por mais difícil que possa parecer, esta seria a atitude mais sensata. O máximo que pode acontecer é ele dizer que o ama como amigo. Isso terá suas consequências? Claro que sim. Pode ser que ele se afaste de você. Mas aí é uma questão de se analisar. Você não está sendo feliz assim. Se ele se afastar ou se você se afastar dele, não seria menos doloroso por mais dolorosa que seja tal decisão?
    O que é mais saudável? Sofrer ao lado dele ou longe? Estando longe você corre o risco de conhecer uma outra pessoa. Tente sair, tente fazer novas amizades...

    Somos aquilo o que plantamos. Se vc continuar cultivando esta tortura psicológica...nunca sairá dela. Vc terá quer ser mais forte do que este amor.

    Espero que vc haja da melhor maneira.
    Se quiser conversar: uninocente@hotmail.com (meu msn) - fique com Deus!

    ResponderExcluir
  3. Casemiro de Sertânia22 de março de 2010 19:50

    Rapaz...como o seu blog e sua vida é ótima.

    Não pelo que o cerca, mas pelo que você é independente de tudo...

    Sabe...quando vi o seu blog e descobri que você era...hã...você, bem...me deu orgulho de conhecê-lo e vergonha de mim mesmo.

    Quando eu tinha 17 anos, namorei sério pela primeira vez e foi um sofrimento a cada pessoa nova que aparecia pra eu conhecer ( sabe, familiares e amigos da namorada)...

    Me pegava suando frio de imaginar conhecer pessoas novas e tudo mais ( fora outras coisas no meu comportamento e que fazia e ainda faço sem querer)...enfim, fiquei com uma puta depressão e fui ao psicólogo. Descobri que eu sou um Neuro típico.

    É engraçado. Parece uma coisa boba, mas pra mim fez muito mal...tanto que até hoje não digo pra ninguém... Fui me adaptando e inventando métodos de "parecer normal" e não deixar as minhas frustrações ficarem aparentes..

    Tenho algo que se chama "Sindrome de Asperger", que é uma deficiência social se podemos dizer assim...
    Alguns classificam até como autismo..

    imagine saber disso e ser louco por teatro?
    é...pois é...
    cada aula minha era (é) uma batalha e cada ensaio da peça que fizemos só era possível pq me entupia de remédios para depressão(e ainda me entupo...rs), porém foi ficando cada dia mais fácil em decorrência das pessoas maravilhosas que me cercavam...

    a minha falta de coragem de dizer a minha "dificuldade" acabou estragando o meu relacionamento, que era algo que era pra me dar força na época da peça, porém só exigia mais do meu psicológico (não por culpa da pessoa, mas minha mesmo. Sinto que algumas pessoas se afastaram pelo que eu aparentei ser...sabe...)

    Hoje isso me prejudica com o convivio com outros atores que eu estou tendo contato...
    fico no meu canto e isso está fazendo com que todo o progresso que eu fiz desse tempo pra cá, fosse por água abaixo de uma vez...
    o frustrante é que eu não sei reconhecer emoções (aprendi a reconhecer algumas coisas por alguns aspectos físicos e comportamentais de algumas pessoas...mas nunca tenho certeza), isso faz com que eu não saiba se isso é nóia minha ou se pessoas podem estar zangadas comigo.

    Bem..é bem mais complicado do que tá aqui...só queria dizer o quando a sua história e você, principalmente, me ajuda nisso...

    (soube de algo seu...agora vc sabe algo meu...rsrsrs)...


    um abração Junnyor...até.

    Casemiro, de Sertânia.


    PS: estou fazendo um cabeçalho pro seu blog. Servido? rs

    PS²: Pode fumar aqui???? (rsrsrsrsrsrs)

    ResponderExcluir
  4. Eu iria amar o cabeçalho...rsrsrsrs.
    E sim! Pode fumar aqui (ñ entendi muito bem, mas pode).

    Quanto ao que você me escreveu...Não faço idéia de como poderia lhe ajudar. Mas de uma coisa eu sei: sua estima está baixa. Deve ser um processo difícil e que você venha tentando a anos. Mas deixe de pensar nos outros e passe a olhar para vc. Se amar. Sair sozinho e curtir a sua Cia. Pegar um DVD e se curtir em casa. Eu só estou aprendendo a ser, agir e pensar desta minha maneira, depois que descobri o quanto eu sou importante para mim mesmo. É difícil? Claro que sim, eu também tenho as minhas recaídas. Hoje mesmo eu estive no show da Ivete Sangalo e pela primeira vez vi o meu ex com o atual namorado (e saudável). Isso acabou comigo. Digamos que o show não teve o mesmo impacto. Mas foi muito bom eu ter visto isso, porque as imagens são marcantes, porém fundamentais para tocarmos adiante sem olhar para trás. Me vi em meio aquela multidão...solteiro e VIVO. Quer coisa melhor? Sentir-se vivo é a melhor coisa do mundo.

    Pense nisso!

    ResponderExcluir